Al-Wahda pede rebaixamento do Cruzeiro à Série C por dívida de Denílson

A dívida que mais preocupa a diretoria celeste segue sendo a que envolve o volante Denílson. O clube tem que pagar 850 mil euros (R$ 5,3 milhões) ao Al-Wahda para evitar que seja punido com o descenso para a Série C do Brasileiro. O clube árabe solicitou na semana retrasada, como informado pelo presidente Sérgio Santos Rodrigues, a punição do descenso para a Raposa. O clube agora aguarda a ordem de pagamento por parte da Fifa. Ainda não há um prazo, mas a estimativa é que o débito seja faturado em outubro, por isso a urgência por parte do Cruzeiro.  “E o que ensejou a gente a convocar essa reunião e mostrar a realidade do clube, temos o problema do Al-Wahda, que já causou a perda de seis pontos no Brasileiro. O Al-Wahda está pedindo agora a execução desse não pagamento dos seis pontos perdidos que pode acarretar um rebaixamento à Série C, a única punição que ainda pode existir. Eu não preciso explicar para vocês (conselheiros), a gravidade. As dívidas na Fifa, a maioria delas, a gente não consegue dizer quando vai vencer, porque ela pode estar consolidada e a gente recebe uma carta que pode ser daqui a 30 dias ou a 90. Nosso grande objetivo é não ter que fazer loucura, correria, se a gente receber essa carta que pode causar essa punição e aí o motivo de estarmos reunidos”, apontou o presidente.  A punição do Al Wahda já gerou ao Cruzeiro a perda de seis pontos na Série B do Campeonato Brasileiro. Por esse motivo, o presidente do Cruzeiro convocou a reunião para poder alienar a Campestre II, projetando um recebimento de R$ 14 a R$ 15 milhões. Os conselheiros decidiram por unanimidade pela medida e, a partir desta terça-feira, se inicia o processo de contato e visitas com potenciais compradores.  Sérgio Rodrigues destacou no encontro dessa segunda-feira que o clube possui hoje R$ 70,3 milhões em dívidas na Fifa até o dia 31 de maio (já somando com tributos como Imposto de Renda e Imposto sobre Operações Financeiras). O presidente anunciou, todavia, que R$ 30 milhões já foram quitados, mas o clube ainda precisa de mais R$ 30 milhões (valor que pode variar) para realizar pagamentos ainda neste ano, evitando assim punições aplicadas pela entidade. Essas seriam as dívidas de curto prazo do clube e que estão na lista de prioridades da diretoria.  Explicações Por meio de sua conta oficial no Twitter, Edson Potsch, vice-presidente administrativo do Cruzeiro, explicou a solicitação que foi feita pelo Al-Wahda, salientando que com o pagamento não há o que se falar em punição.  “Nação Azul, para esclarecer a questão. O Al-Wahda solicitou à FIFA a punição de rebaixamento, mas devemos ser notificados para efetuar o pagamento dentro de um prazo. Ainda não fomos e não sabemos quando seremos. Se houver o pagamento no prazo, não há que se falar em punição”, escreveu o dirigente.

Fonte: O Tempo