Sem Boselli, Corinthians mostra variações táticas animadoras

O Corinthians começou a partida contra o Oeste com muitas dificuldades na armação de jogadas. Com o quarteto ofensivo formado por Luan na armação, Ramiro na direita, Everaldo na esquerda e Boselli no comando de ataque, o clube sofreu com a falta de movimentação e agilidade do grupo. Fato esse que pode ser visto nas estatísticas do primeiro tempo. Apesar de ter 67% de posse de bola, o Timão finalizou apenas uma vez, justamente no gol de cabeça de Danilo Avelar, aos 47 minutos do segundo tempo. Enquanto isso, o Oeste havia finalizado cinco vezes e só não marcou por defesas importantes de Cássio, mais uma vez destaque da equipe. Um fator no mínimo inusitado marcou a melhora do Corinthians no jogo: a saída do atacante Mauro Boselli, substituído no fim do primeiro tempo por uma lesão na face. Mateus Vital entrou no seu lugar, dando ao Corinthians mais velocidade e movimentação. Luan passou a ser o ‘nove’ em campo, com Vital na esquerda, Ramiro no meio e Janderson, que entrou no lugar de Everaldo, na direita. Na segunda etapa o Timão mostrou boa melhora. Em vantagem no placar, o técnico Tiago Nunes resolveu trocar Camacho por Éderson, substituição que deu muito certo. O camisa quinze entrou bem no jogo, dando mais qualidade na saída de bola e aparacendo bastante na frente, tanto que marcou o gol que selou a vitória, no final do jogo. O Timão conseguiu finalizar quatro vezes na segunda etapa, contra somente uma  do primeiro tempo, sendo duas no gol adversário. – Fizemos um bom primeiro tempo, tivemos algumas dificuldades em algumas situações de bola, na infiltração adversária, poderíamos ter aproveitado um pouco melhor os espaços que tínhamos. No segundo tempo, conseguimos ficar um pouco mais soltos, com a equipe um pouco mais agressiva, com mais mobilidade – afirmou Tiago Nunes em entrevista depois do apito final.Com Boselli precisando ser operado e provavelmente ficando de fora das próximas partidas, a tendência é que Jô herde o lugar do argentino no comando do ataque caso seja regularizado a tempo. Porém, nada impede que Tiago Nunes repita a formação que deu mais resultado na vitória contra o Oeste, com Luan como referência no ataque.

 

Fonte: Lance