Preleção da Mancha Verde não empolgou atletas do Palmeiras

Horas antes do embate contra o Corinthians, pela final do Paulistinha, a diretoria do Palmeiras permitiu que a cúpula da facção Mancha Verde incomodasse os atletas numa espécie de ‘preleção’ não agendada.
Todos, absolutamente insatisfeitos, passaram pela tortura de escutar os ‘especialistas’ em futebol.
Ontem, diante do desempenho da equipe, parece que a ‘motivação’ teve efeito contrário.
Refém da patrocinadora, que banca tanto o clube quanto a ‘organizada’, Mauricio Galiotte esforça-se para ver a taça parar, mais uma vez, na sala de troféus do adversário.

Fonte: Blog do Paulinho