O péssimo exemplo de Corinthians, Palmeiras e FPF

Ontem (03), reiterando ser quem é, o presidente do Corinthians, Andres Sanches, inseriu o clube, desnecessariamente, em polêmica ao afirmar que não realizaria teste de Covid-19 no elenco de futebol.
Culpou o fato do Palmeiras ter descumprido orientação da Federação Paulista de Futebol, que, em seu protocolo contra a pandemia, explicitava a necessidade de isolar os jogadores em concentração, enquanto o clube de Palestra Itália preferiu, irresponsavelmente, liberá-los após os compromissos.
Ato contínuo, Sanches foi afagado pelo presidente do Sindicato de Atletas, Rinaldo Martorelli, que lhe deu razão na iniciativa.
Para contextualizar: Sanches é uma espécie de Martorelli da cartolagem; Martorelli é um Sanches do sindicalismo; o que significa, exatamente, o que o inteligente leitor do Blog do Paulinho está pensando sobre ambos.
Horas depois, a FPF emitiu nota dizendo que o Corinthians ‘tinha razão’, mas, ainda assim, concordou em realizar os testes de COVID-19 para o clássico.
Não era bem assim.
Sanches, para esticar a polêmica, enviará os atletas para testagem apenas na quinta-feira, um dia após o primeiro jogo das finais do Paulistinha.
Em resumo, nenhum dos citados pensou no principal: dar exemplo à sociedade sobre a prevenção ao vírus, sem contar a evidente e necessária testagem dos atletas, salvaguardando não apenas a eles, mas aos demais profissionais envolvidos nos bastidores das partidas.
Todos erraram.
Aliás, se de fato pensassem no ser-humano, o campeonato sequer teria reiniciado, diante do número crescente de mortos que ainda persiste num país governado por um presidente que a história, fatalmente, tratará como genocida.

 

Fonte: Blog do Paulinho