‘Importa como termina’: Enderson vira a página e quer Cruzeiro focado na Série B

Quando Enderson Moreira chegou ao América, ainda em 2016, o treinador obteve resultados no time, mas não conseguiu evitar o descenso de uma equipe que já estava fadada à queda. A diretoria alviverde o manteve e logo nas disputas do Mineiro e da Copa do Brasil, o Coelho acabou eliminado. No Estadual, o algoz foi o próprio Cruzeiro, hoje clube do comandante, na semifinal; enquanto que na Copa do Brasil acabou eliminado para o Murici, nos pênaltis após um 0 a 0 no tempo normal.  As eliminações poderiam até ter determinado uma saída do técnico (ele tinha até ofertas de outros clubes, como a Chapecoense), mas o contrato de Enderson foi renovado pela diretoria americana até o fim da temporada. O resultado do planejamento foi o acesso à Série A do Brasileiro. No Cruzeiro atual, o técnico chegou na noite dessa quarta-feira ao seu segundo jogo no comando da Raposa, acumulando a segunda vitória. Mas o triunfo por 1 a 0 sobre a Caldense não foi suficiente para que o time estrelado evitasse a eliminação ainda na primeira fase do Mineiro. Ficar fora das semifinais do Mineiro traz aquela ‘pitada’ de desapontamento por parte da torcida. Mas também pode significar um reagrupamento do time em torno do objetivo maior da temporada: o acesso.  Enderson lembrou, por exemplo, o ano passado, quando o Cruzeiro iniciou a temporada vencendo o Mineiro, mas acabou rebaixado no Brasileirão. Para o treinador, o mais importante agora é ter consciência de que o fundamental na história do clube será como as coisas acabarão. A temporada da Raposa vai se estender até o fim de janeiro de 2021 com a disputa da Série B e o time ainda tem um jogo dificílimo contra o CRB, em Alagoas, que busca inverter um placar de 2 a 0 para avançar à quarta fase da Copa do Brasil.   “A frustração é enorme dentro daquilo que a gente tinha como pespectiva. Mas eu costumo falar que não importa como começa, importa como termina. Ano passado o Cruzeiro foi campeão mineiro, e no final da temporada o clube viveu um momento muito complicado e difícil. Eu tenho a consciência de que a gente queria vencer essa competição, mas a gente tem um objetivo maior e a gente precisa focar nele a partir de agora. Temos ajustes a serem feitos. O que aconteceu no passado ficou no passado. Estamos em um momento de construir um novo Cruzeiro com as dificuldades financeiras que o clube tem”, salientou Enderson.  O treinador destacou também que possui total ciência do momento complicado financeiramente da Raposa, mas que sua contratação foi pensando não em grandes reforços, mas em montar uma equipe competitiva e capaz de concluir o objetivo que foi traçado.  “Eu não estou aqui para ficar lamentando isso, ou ficar julgando isso, ou ainda na expectativa de que possa, de repente, voltar a fazer contratações de grande peso. Não foi para isso que fui contratado, mas sim para montar uma equipe competitiva, uma equipe que tenha determinação para vencer os jogos, uma equipe que possa fazer com que o clube retorne à Série A, é o nosso objetivo. A gente vai fazer isso em campos bons, campos ruins, com a dificuldade de adversários muito complicados, mas nós vamos fazer”, reforçou eEnderson.  Sob a batuta de Enderson Moreira, a campanha do Coelho na Série B 2017 foi exemplar: Em 38 jogos, o comandante liderou o time a 20 vitórias, 13 empates e cinco derrotas. O América foi o time com a menor quantidade de tropeços no torneio nacional. O aproveitamento foi de 64%, com a equipe ainda possuindo a melhor defesa da competição – foram 21 jogos sem sofrer gols.

Fonte: O Tempo