Troféu Inconfidência dá chance de ‘último suspiro’ para times do interior

Para boa parte dos times do interior, não cair para o Módulo II do Campeonato Mineiro já é algo de positivo, levando em conta a diferença de investimento para os grandes da capital e a competitividade do torneio. Estar garantido na elite na próxima edição é uma vantagem, ciente de que uma importante renda vai entrar no caixa em 2021.  Por mais que os objetivos sejam sempre a vitória, conquistar a meta de classificação nem sempre é possível. O cenário da pandemia deixou tal resultado ainda mais complicado, em virtude da queda de receita, saída de jogadores e muitas mudanças no elenco. Para 2020, uma novidade que a Federação Mineira de Futebol (FMF) trouxe foi a realização do Troféu Inconfidência, que dá a chance para quatro das equipes que não se classificaram disputar mais jogos e se manter ativas por mais alguns dias em âmbito estadual, independentemente do que está por vir no resto do ano. Na primeira edição do torneio, estarão presentes Cruzeiro, Patrocinense, Uberlândia e Boa Esporte. Os times do interior ganham um pequeno fôlego na temporada, ao contrário dos anos anteriores, quando as atividades do ano já eram encerradas quando nenhum compromisso mais estava por vir nos próximos meses. “Não foi fácil manter o elenco, a concorrência com outros times que disputarão os campeonatos de divisão de acesso nacional é grande. Foi muito difícil segurar alguns jogadores e chegar para os jogos decisivos deste novo torneio com elenco de qualidade, com as mesmas peças do começo do Mineiro. Temos um fator positivo que são de oito a dez atletas formados em casa mas sem a experiência necessária para a importância deste torneio. Vamos trabalhar com o que temos e tentar fazer um bom trabalho pra avançar de fase. Confiamos no grupo, que trabalha junto há muito tempo. Será uma oportunidade para estes jovens atletas formados no clube”, destaca Fabrício Tavares, diretor de futebol do Uberlândia.  A ideia inicial era realizar a competição com jogos de ida e volta, tanto na semifinal como na grande decisão. No entanto, a pandemia fez com que as partidas fossem em jogo único. O melhor colocado (com exceção do Cruzeiro) ganha, ainda, o direito de disputar a Recopa contra o ‘campeão do interior’, que deve acontecer somente em 2021 por causa da pandemia do coronavírus. Caso Minas Gerais tenha direito a uma quinta vaga na Copa do Brasil de 2021, ela será dada ao campeão do Troféu Inconfidência. As semifinais do Troféu Inconfidência começam no sábado com Cruzeiro e Patrocinense, no Mineirão, às 14h30. No domingo, às 19h, no Parque do Sabiá, jogam Uberlândia x Boa Esporte.  Confira abaixo um resumo dos três clubes do interior que estão no Troféu Inconfidência e como estava seu cenário há um ano Boa Esporte: sétimo colocado, três vitórias, cinco empates, três derrotas. Apesar de ser um dos representantes do Mineiro na série C, posição bem superior aos concorrentes, o time de Varginha oscilou no torneio e viu a classificação ficar distante a cada ponto que era desperdiçado. Durante a pandemia, com 12 novos contratados, o clube não conseguiu treinar com bola. As atividades físicas eram por conta própria dos jogadores, de forma remota, à distância. Equipe foi para o jogo de retomada do Estadual, contra a Patrocinense, fora de casa, sem conseguir fazer um único coletivo. Para o último jogo, time já havia feito treino após decreto da prefeitura de Varginha autorizando os treinos a partir do dia 25 de julho. As vitórias nas duas últimas rodadas não foram suficientes para brigar pela classificação. Seis pontos distanciaram o Boa do G-4, mostrando os altos e baixos na primeira fase, com muitos empates que comprometeram uma melhor posição. Neste mesmo período do ano passado, o Boa já havia sido eliminado na série C. Foi antepenúltimo colocado do seu grupo, em posição próxima ao rebaixamento, mas com sete pontos de diferença sobre o penúltimo.  Uberlândia: sexto colocado, quatro vitórias, dois empates, cinco derrotas. Teve cinco saídas e duas chegadas durante a pandemia. Viu a chance de classificação ficar distante já no começo do campeonato, quando foi conseguir sua primeira vitória somente na quinta rodada. Está garantido na série D de 2021, mas não tem nada mais para disputar neste ano. Há um ano, estava inativo após ficar de fora da zona de classificação do Campeonato Mineiro.  Patrocinense: oitavo colocado, três vitórias, três empates e cinco derrotas. Brigou até a última rodada com a URT pela última vaga no Troféu Inconfidência, superou o adversário por apenas um ponto, sendo beneficiado pela derrota da URT para o América. Seguiu com seis atletas no elenco durante a pandemia e precisou contratar 16, além do novo técnico, Milagres. Não tem mais nada a disputar em 2020. Time até começou bem o MIneiro mas não pontuou nas últimas três rodadas.

Fonte: O Tempo