‘Talismã do América’, Vitão volta a marcar gol importante pelo Coelho

O atacante Vitão, de 20 anos, tem aproveitado bem as oportunidades no América e contribuído com gols importantes, para o Coelho. Ano passado, na 37ª rodada da Série B, Vitão saiu do banco e marcou o gol da vitória, no duelo contra o Guarani, em Campinas. Na ocasião, os americanos seguiram na briga pelo acesso. Já neste domingo (26), não foi o gol da vitória, mas foi o tento que garantiu a invencibilidade na temporada. Após entrar na vaga de Ademir, Vitão fez o gol de empate, no clássico contra o Atlético, que terminou 1 a 1. “Um clássico sempre é especial. Joguei muito na base, mas no profissional tem um gostinho diferente. Dá um pouco de frio na barriga, mas graças a Deus, treinando bem e focado, a gente consegue tirar um pouco desse peso. Estou muito feliz e poderia estar mais, caso tivéssemos conquistado a vitória”, comemorou Vitão. Natural de Teófilo Otoni, na região do Vale do Jequitinhonha, em Minas Gerais, o atacante com o ‘DNA formador’, do América, teve o contrato prorrogado no fim da temporada passada, estendendo o vínculo até dezembro de 2021. O clássico contra o Atlético foi o sexto jogo que Vitão participou. Promovido da base, o jovem atleta revelou gratidão pelo Coelho que, segundo ele, teve uma ‘paciência anormal’ durante a sua formação. “É uma instituição que sempre me valorizou, sempre me ajudou e eu sempre tive isso na cabeça, que eu queria chegar no profissional. O América sempre teve uma paciência comigo anormal, que outro clube não teria. Eu sempre fui feliz aqui, então quero ajudar seja de titular, talismã ou como uma referência”, destacou. A gratidão do atacante também foi demonstrada durante a comemoração do gol contra os alvinegros. Vitão fez questão de se dirigir até o diretor de futebol, Paulo Bracks e o supervisor do profissional, Rafael Lanza, que estavam no departamento de base, quando o atacante ainda integrava os juniores. “Paulo e Rafael sempre me deram total apoio e uma vez eu prometi ao Rafael que, quando eu fizesse um gol, iria comemorar com ele. Eu o vi lá e fui agradecer por tudo que fez por mim. Sempre foi um cara certo comigo, tanto ele quanto o Paulo, e eu sempre serei grato”, concluiu.

 

Fonte: O Tempo