Superior fisicamente, Cruzeiro vence URT com facilidade na estreia de Enderson

O torcedor do Cruzeiro estava com saudades de ver o time em ação. Foram 131 dias desde a paralisação devido à pandemia do novo coronavírus. E a primeira amostra com Enderson Moreira no comando agradou. Que pese o fato de o time celeste possuir uma condição física superior a da URT – a Raposa treinou por praticamente nove semanas, enquanto o time de Patos teve menos de duas semanas de atividades -, o Cruzeiro construiu com facilidade o placar de 3 a 0, gols de Cacá, Thiago e Marllon, mantendo viva a possibilidade de avançar à fase final, além de devolver ao torcedor a esperança de dias melhores. As últimas lembranças antes do mundo parar não eram nada agradáveis. Um time muito aquém em vários aspectos. Neste domingo, um conceito de jogo foi visível. o trabalho de Enderson começou a ser notado, com bastante transição e velocidade, buscando sempre o ataque.  O Cruzeiro já começou a partida com um desfalque de peso. Não pode contar com o boliviano Marcelo Moreno, ausência por causa de um desconforto gastrointestinal. Mas o time não sentiu muito a falta do boliviano. Até porque começou o jogo balançando as redes da URT. Logo aos 4 min, Cacá abriu o placar após cruzamento à área. Ele se antecipou aos defensores do time de Patos e cabeceou firme. Muito melhor fisicamente, o time celeste não demorou muito para fazer o segundo. Uma das características do time de Enderson ficou clara na jogada, com a presença de Régis, um dos destaques do jogo, e Patrick Brey aparecendo com muita força no ataque. O lateral-esquerdo foi o autor da assistência que deixou Thiago, o substituto de Marcelo Moreno, livre e em plenas condições de marcar. O jovem jogador mostrou o faro de artilheiro, que vem apresentando desde o início da temporada, e fez o segundo do time celeste.  Outro ponto positivo do Cruzeiro de Enderson Moreira foi a saída de bola com os zagueiros. Em alguns lances, Cacá, com um passe de qualidade, auxiliou até mesmo na construção de jogadas com Régis e outros companheiros. Sem ser acuado pelo rival, Fábio foi pouco exigido, o Cruzeiro chegou ao terceiro gol aos 8 min do 2ºT, com o zagueiro Marllon, aproveitando o rebote, indo às redes e fechando o placar no Mineirão.  Com a vitória, o time celeste chegou aos 17 pontos, o mesmo da Caldense, que joga ainda neste domingo, contra o Tupynambás, mas perde no saldo de gols (apenas um neste momento). Apesar disso, a Raposa segue na quinta posição.

Fonte: O Tempo