Santos ameaça acionar a CBF se Éverson fechar com o Galo; Atlético rebate

O goleiro Éverson, do Santos, acionou o clube paulista na Justiça pedindo a rescisão unilateral do contrato. Na ação, ele cobra valores em atraso e pede sua liberação imediata. Nos últimos dias, o goleiro foi especulado no Atlético por um desejo de Jorge Sampaoli, que comandou Éverson no Santos em 2019. Esta junção de fatores levou o presidente do clube paulista a dar uma declaração polêmica. Em entrevista ao jornalista Paulo Vinicius Coelho, o PVC, do Grupo Globo, José Carlos Peres afirmou que, se o atleta fechar com o Galo, vai levar o Atlético até a comissão de ética da Confederação Brasileira de Futebol (CBF). “Se ele for para o Atlético, vamos à comissão de ética da CBF”, pontuou Peres. O Super.FC tentou contato com José Carlos Peres por mensagens e ligação para entender os motivos que embasaram a fala do presidente, mas não teve retorno até a publicação desta matéria. A reportagem levou a fala do presidente do Santos ao Galo. Por meio de sua diretoria de comunicação, o clube mineiro informou que “o Atlético não tem absolutamente nada com os problemas do Santos”. O Atlético nega que esteja envolvido com o pedido de rescisão do goleiro. O processo movido por Éverson corre em segredo de justiça. No entanto, segundo revelou o UOL Esporte, o goleiro cobra R$ 7,3 milhões do Santos, além da liberação imediata. Os valores são correspondentes a cinco meses de direitos de imagem atrasados, três meses de redução salarial, cinco meses de FGTS, além de cláusula compensatória e multas. No processo, segundo publicou o UOL, é citada a situação de mercado como um dos motivos para um pedido de urgência. “Inclusive, o reclamante [Everson] já foi sondado por outros clubes, porém o vínculo com o reclamado [Santos] impossibilita que o reclamante continue com as negociações”, dispõe o processo.  O técnico Jorge Sampaoli, atualmente no comando do Atlético, esteve no Santos em 2019. Durante sua passagem, colecionou atritos com o presidente do Santos e pediu demissão do clube em dezembro do ano passado, mesmo após uma boa temporada. A relação conflituosa de Peres e Sampaoli, mesmo que atualmente em clubes distintos, é mais um elemento neste mercado da bola entre Galo e Peixe.

 

Fonte: O Tempo