Quando estará liberado? Médico do Cruzeiro fala sobre recuperação de Henrique

No último fim de semana, o volanete Henrique foi um das presenças na Toca da Raposa II durante o rachão 5 Estrelas, atividade que foi transmitida ao vivo pelo canal oficial do clube no YouTube. Ter o jogador no centro de treinamentos no CT celeste encheu os torcedores de esperança quanto à possibilidade de poder vê-lo liberado para os treinamentos após o grave acidente automobilístico que sofreu no fim do mês passado.  Todavia, o departamento médico celeste ainda avalia a evolução do atleta. Sérgio Campolina, médico do Cruzeiro, destacou que os clínicos que acompanharam o jogador solicitaram um período de duas a quatro semanas de observação e atividades físicas graduais para a posterior retomada de trabalhos com bola. Essa seria então a terceira semana deste processo.  “O Henrique sofreu um acidente automobilístico de pouca repercussão, mas que foi grave, querendo ou não, uma série de fatores pesaram positivamente para que não tivesse uma sequela maior desse acidente. Os médicos clinícos que estão o acompanhando solicitaram um período de duas a quatro semanas de ‘observação clínica’, ou seja, de atividade de menor intensidade que um atleta profissional está habituado”, explica Sérgio Campolina. “Então, provavalmente nesta semana devemos evoluir um pouco mais nas atividades com ele. O Henrique está bem, louco para querer voltar as atividades com o grupo, mas foi um acidente grave e nós precisamos tomar todas as medidas de segurança para que isso não repercuta na sua vida. Está na hora de preservá-lo. É isso que estamos fazendo”, acrescentou o médico do Cruzeiro.  Dessa maneira, Henrique deverá ser também desfalque para o jogo decisivo que o Cruzeiro terá no dia 29, quando a Raposa viaja até Poços de Caldas, para encarar a Caldense, no Ronaldão, pela rodada derradeira da primeira fase do Mineiro. Com todo os cuidados, a previsão é que a partir da primeira semana de agosto, Henrique retome as atividades com o grupo e seja trabalhado para uma eventual fase final do Mineiro e a estreia na Série B do Brasileiro.  O jogador, antes do acidente, já vinha treinando normalmente com o elenco do Fluminense, que se preparava para a retomada do Campeonato Carioca.

 

Fonte: O Tempo