Presidente do Cruzeiro critica forma como MP sobre direitos de TV foi conduzida

Ao mesmo tempo em que aprova a ideia da Medida Provisória 984/2020, sobre os direitos de televisão por parte dos clubes de futebol, o presidente do Cruzeiro, Sérgio Santos Rodrigues, acredita a forma como ela foi implantada poderia ter acontecido de maneira diferente. A MP decide que o clube mandante será o responsável por negociar os direitos de transmissão das suas partidas dentro do território nacional.  Durante participação no SuperFC 1ª edição desta quarta-feira, o mandatário celeste falou sobre o assunto. “Ela, de uma forma geral, é positiva para o futebol. O que causou imbróglio foi a falta de diálogo. Sou da área do Direito e sei que ela deve ser usada para casos de emergência e maior necessidade. Acha que falta, no Brasil, o espírito de dar as mãos e negociar coletivamente. Nos EUA, por exemplo, a prioridade é a competitividade fomentando todos os participantes. Temos aqui dois a quatro times que acham que podem se sobressair e este não é o melhor caminho. A forma como a MP se deu foi equivocada pela falta de discussão”, aponta Rodrigues.

 

Fonte: O Tempo