Polêmica em campeonato agita comunidade do PES no Brasil

Um campeonato de Pro Evolution Soccer organizado pela Confederação Brasileira de Futebol Digital e Virtual (CBFDV) ainda não teve início, mas já está dando o que falar. A organização, que, apesar do nome, não tem vínculo com a Confederação Brasileira de Futebol (CBF), recusou a inscrição de pelo menos nove equipes de futebol virtual.

Torneio promete distribuir mais de R$ 30.000,00 em prêmios
O torneio leva o nome de “Campeonato Brasileiro de Futebol Digital”. Será disputado no modo COOP 11×11 e contará com a participação de 128 times. Mesmo com tantas vagas, equipes tradicionais como a eLigaSul, Player One Brasil e Warriors, não foram aceitas, assim como atletas ligados a estas equipes.A polêmica aumenta por estar circulando nas redes sociais um áudio de Junior Kid, presidente da CBFDV, em que ele diz que atletas ligados à Player One não poderão disputar o seu Campeonato Brasileiro.“Vocês querem o áudio, pra vazar? Quem fala é Junior Kid, presidente da CBFDV. Só avisando que os times e jogadores que participarem do campeonato da Player One Brasil não jogam o Campeonato Brasileiro. Esse áudio pode ser compartilhado por todos vocês. Times e jogadores que jogarem torneio da Player One Brasil não jogam o campeonato brasileiro da CBFDV. Pronto. Ponto final.”Questinado sobre o áudio, Kid explicou:- Isso tem mais de dois meses e foi relacionado à Player One, que usou da imagem da CBFDV e da minha pessoa para se promover de forma ilegal e desrespeitosa. São organizações diferentes, com pensamentos, postura e filosofias de trabalho de forma independentes. Os times tem a opção de escolher qual liga quer jogar.Segundo ele, a não participação de algumas equipes em seu torneio se deve ao alto número de times inscritos. E ele garante que, apesar da ausência de alguns times já consagrados, o campeonato não perderá atratividade:- Estamos aqui em prol do crescimento do futebol digital no Brasil todo. Atendemos às necessidades de 27 estados, damos a mesma visibilidade aos times e jogadores que estão começando ou que já atingiram o sucesso. As escolhas para envio do convite aos times são analisadas considerando diversos critérios, dentro e fora do campo, o campeonato já é atrativo por si só. É o maior do Brasil e um dos maiores do Mundo.CEO da Player One, Junior Veiga indaga o fato de sua equipe ter ficado de fora:- Como Liga e representante de 10 times da modalidade, nós repudiamos esse tipo de atitude. Uma empresa que se diz oficial, carrega a sigla CBF no nome, usa os mesmos nomes das competições oficiais da CBF, e que lida de maneira intimidadora com milhares de players que pagam às Federações de cada estado anualmente durante esses 15 anos, e ao chegar uma concorrência, bloqueia quem os alimenta durante esse tempo todo? E mais, organizações diferentes, com pensamentos, postura e filosofias distintas, chama-se concorrência. Coibir de maneira covarde seus players de jogarem por outra competição que não seja a sua conota muito mais insegurança do seu trabalho, afim de garantir de qualquer forma o monopólio do modo.Perguntado se a CBFDV seria a Confederação Brasileira oficial da categoria, citado por Veiga, Junior Kid respondeu:- A Confederação é uma instituição privada que existe há 15 anos. Organizamos torneios em 27 estados, mobilizando mais de 10 mil jogadores todos os anos. Gerenciamos diversas federações, ligas e clubes pelo Brasil inteiro. Já organizamos diversos torneios oficiais de PES desde 2008. Todos os grandes nomes do futebol digital brasileiro começaram suas carreiras em torneios ligados ou promovidos pela CBFDV.Quem também não ficou satisfeito por ficar de fora do campeonato foi a equipe Rose’n Boys. O time foi vice-campeão do torneio de aquecimento ao Brasileirão no último dia doze, mas mesmo assim não ficou entre os 128 selecionados. Arthur Silva, diretor de futebol digital da equipe, falou sobre a situação. – A gente ficou muito revoltado. A gente ainda está, na verdade. Era um modo que todo mundo se gostava, tinha uma rivalidade sadia, aí chegou a CBFDV e rachou isso. A Rose’n Boys tem os melhores jogadores do mundo na equipe e tá de fora, mesmo com o vice do esquenta. Não da pra entender!

Equipe Rose’n Boys chegou à final do torneio de aquecimento
Renato Sá Neto, CEO da eLigaSul, foi outro que demonstrou insatisfação. Para ele, sua equipe teria sido sim proibida de participar da disputa, por ser uma das favoritas ao título. Esse fator teria refletido, também, na Rose’n Boys, equipe parceira.- Quando houve a proibição da eLigaSul jogar o torneio, decidi liberar todos os atletas da equipe x11, porque eles queriam jogar esse torneio. A maioria foi pra Rose’n Boys, que era nossa parceira antes do torneio ser lançado. Depois eu soube que a Rose’n Boys foi proibida de jogar também. Entendo que a proibição é pelos players serem a base da eLigaSul, porque a Rose’n Boys tinha uma parceria com a gente. Mesmo a eLigaSul saindo do negócio, o banimento foi confirmado. A Rose’n Boys está sendo proibida por causa da eLigaSul. Eu acho que a CBFDV tem medo, eles sabem que nossos players são os melhores e seriam favoritos nesse torneio. Considero uma postura muito triste, porque não tem critérios disciplinares, e sim tem linhas de monopólio e não livre concorrência. Isso só divide a comunidade. E qual é a legitimidade da CBFDV? Ela é conectada à CBF? Não! É um órgão com respaldo do governo? Não! Então por que isso? Que poder é esse?A competição, que promete distribuir mais de R$ 30.000,00 em prêmios, estava prevista para começar na próxima semana,

Fonte: Lance