O DJ: Sem público no Mineirão, ele foi a torcida do Cruzeiro neste domingo

A retomada do futebol traz consigo peculiaridades. Para além dos cuidados e protocolos, um dos fatores mais preponderantes do jogo está ausente: a torcida. E para suprir essa carência, o artifício que vem sendo usado é o som de fundo, o famoso BG, com cânticos dos torcedores. No Mineirão neste domingo, na vitória do Cruzeiro sobre a URT por 3 a 0, Filipe Ikis, de 34 anos, foi o DJ responsável por ser a torcida celeste. Uma responsabilidade que o fez até perder sono, como relatou em entrevista ao Super.FC.   “Eu estou meio de cara com a repercussão que deu. Foi uma repercussão gigantesca. Primeiro foi uma responsabilidade muito grande, já tinha mais ou menos 15 dias que o pessoal do Cruzeiro tinha feito o convite. A gente foi lá no Mineirão, fizemos os testes, vimos que era tudo compatível para fazer esse trabalho. Aí a ansiedade já começou a matar. Noite em claro, garimpando as músicas da torcida no YouTube, achando os melhores áudios e tal, e o coração a mil”, contou Ikis. Mas quando o dia chegou, a ansiedade deu lugar à segurança. Na transmissão do canal Premiere, por exemplo. muitos elogios ao timing do DJ, que alternava as músicas de apoio com as vaias quando o time patense pegava na bola. Tanta segurança que Ikis confessa: chegou a exagerar na dose e recebeu do Mineirão o pedido para dar uma abaixada no som. Acontece. O Cruzeiro também ajudou o DJ. Uma vitória que começou a ser construída aos 4 min, com Cacá.  “Pisar lá no Mineirão, organizar tudo, na hora que eu olhei e vi que estava tudo funcionando, já comecei a colocar as músicas e só vendo a torcida na mente, o que todos estavam esperando, preocupado se ia dar para entender as músicas pela transmissão. Fui tentando colocar as músicas que eu mais me identifico da torcida e o Cruzeiro também ajudou demais. Já foi fazendo gol, eu fui me empolgando também, até que o Mineirão pediu para abaixar um pouco o som que eu já estava com ele no máximo (risos)” , relatou Ikis ao Super.FC com muito bom humor.  Mas passado o lapso, mais elogios, até mesmo do presidente Sérgio Santos Rodrigues que o marcou no Instagram, e mensagens, muitas mensagens. Foi um dia inesquecível para Filipe Ikis, que representou a torcida e voltou para casa com a sensação de dever cumprido. Não só a dele, como a do Cruzeiro, que mostrou bons sinais no primeiro jogo com Enderson Moreira no comando.  “Tive que abaixar um pouco e tal. Estou emocionado demais, até agora estou meio aéreo, e na hora que eu cheguei aqui em casa que eu peguei o celular mesmo para olhar minhas coisas e estou vendo essa dimensão que tomou, o Sérgio (Santos Rodrigues, presidente do Cruzeiro) postou nos stories dele também, muita gente postando, marcando a gente. Estou feliz demais e, graças a Deus, com a sensação de dever cumprido. Ter a responsabilidade de ser a torcida foi muito grande, mas graças a Deus deu tudo certo”, encerrou o torcedor.

 

Fonte: O Tempo