Lateral do Galo Feminino, Leila avalia recuperação após cirurgia na pandemia

A pandemia do novo coronavírus impôs uma série de restrições ao cotidiano das atletas de futebol. No caso de quem vem enfrentando lesão durante esse período, o desafio é ainda maior. A lateral Leila, do Galo Feminino, teve uma fratura por estresse na tíbia detectada uma semana antes da estreia do time no Brasileiro Feminino A2, que aconteceu em 14 de março. Um dia depois, a CBF paralisou suas competições. A Série A2 ainda não foi retomada, e durante todo este tempo a lateral tem se dedicado ao tratamento da lesão. Leila, de 25 anos, chegou a voltar para Curitiba, onde mora a namorada, logo que a CBF interrompeu o campeonato nacional. No entanto, precisou retornar em maio para Belo Horizonte, onde realizou a cirurgia que estava aguardada na tíbia.  O procedimento no dia 8 foi conduzido pela médica Alessandra Orto, que cuida da equipe feminina do Galo. Um dia depois, a jogadora retornou para Curitiba, de onde tem sido monitorada à distância pelas profissionais do Galo. A cirurgia não foi possível antes, porque a jogadora teve um quadro gripal.  “Todos os dias estou tendo acompanhando com a fisioterapeuta e uma vez na semana com a médica. Estou tendo tanto o apoio da minha família quanto do meu clube”, conta Leila, que avaliou a recuperação. “Mais do que eu esperava, a recuperação tá sendo ótima, está superando todas as expectativas”, completa. Mesmo com o acompanhamento da médica Alesandra e da fisioterapeuta do Galo Feminino, Gabriela Breder, o trabalho à distância é um desafio. Isso porque, para lidar com a lesão, é importante um contato mais físico, o que foi afetado pela pandemia. “No contato direto com o profissional, a atenção para a execução do exercício acaba sendo maior. A vivência acaba sendo um ponto também muito importante, já que o costume de ter o profissional sempre presente, sendo para tirar dúvidas ou até corrigindo algum movimento”, comenta Leila. Leila tem 25 anos e chegou ao Galo Feminino para esta temporada. Ela já defendeu Independente (PA), Tuna Luso (PA), Paysandu (PA), Remo (PA), Pinheirense (PA), Audax (SP), 3B (AM) e Santos antes de chegar ao clube mineiro. O Brasileiro Feminino A2 vai ser retomado no dia 18 de outubro. O Galo, até então, só chegou a disputar uma partida, na estreia, contra o Vila Nova-ES.

 

Fonte: O Tempo