Há 90 anos, Preguinho marcava o 1º gol da Seleção Brasileira em Copas do Mundo

A relação entre a seleção brasileira e Copa do Mundo começou há exatos 90 anos, no dia 14 de julho de 1930. O início da trajetória do Brasil em Copas se deu através de um personagem: Preguinho, o autor do primeiro gol da história da Seleção em Mundiais.  João Coelho Netto nasceu no dia 8 de fevereiro de 1905. Durante a infância, foi jogado na piscina em uma brincadeira com amigos e, sem saber nadar, afundou e ‘caiu como um prego’. O apelido ficou e, partir daí, as habilidades esportivas começaram a ser aprimoradas. Ele foi atleta de futebol, natação, remo, polo aquático, saltos ornamentais, atletismo, basquete, vôlei, hóquei sobre patins e tênis de mesa. Preguinho tinha talento em todas as modalidades, conquistando 387 medalhas e 55 títulos no geral. Mas seus grandes feitos são no futebol. A estreia dele com a bola nos pés ocorreu em 19 de abril de 1925. Preguinho havia conquistado o campeonato estadual de natação na categoria 600 metros e, logo na sequência da prova, partiu em direção ao Estádio das Laranjeiras e ajudou o Fluminense a conquistar o Torneio Início. O ponta-esquerda foi quem mais vezes balançou as redes do Estádio das Laranjeiras, com 78 gols marcados, e é um dos maiores artilheiros da história do Tricolor, com 153 tentos. Mas o mais célebre de seus gols foi com outra camisa: a ainda branca e com detalhes em azul da Seleção Brasileira.  O tento foi marcado no duelo entre Brasil e Iugoslávia, em jogo válido pela primeira Copa do Mundo de todos os tempos, disputada no Uruguai. Sentindo muito a questão climática, com a temperatura perto da casa dos 0º na cidade de Montevidéu, a Seleção Brasileira teve grandes dificuldades na partida. Mais acostumados com o frio, os europeus jogavam melhor e abriram uma vantagem de 2 a 0 no placar do Estádio Gran Parque Central. Aos 17 minutos da etapa final, Fausto driblou Vouyadinovich e lançou para a área adversária. Ickovitch e Preguinho disputaram a bola, o brasileiro conseguiu tê-la em seus domínios e finalizou para o fundo da rede. O gol não evitou a derrota do Brasil na estreia, mas abriu a porteira, como se diz na gíria do futebol, para os 229 que fazem da Seleção Brasileira a maior artilheira da história da competição. Os feitos históricos de Preguinho no Mundial de 1930 não param por aí. Além de autor do primeiro gol, ele também foi o primeiro capitão da Seleção em Copas e o primeiro artilheiro, com três tentos. Os outros dois foram marcados na vitória por 4 a 0 sobre a Bolívia, na segunda rodada. Mesmo assim, o time acabou atrás da Iugoslávia e, como no regulamento da época apenas uma equipe avançava de fase, acabou eliminado. O ponta esquerda nunca mais disputaria uma Copa do Mundo pela Seleção, mas seus feitos jamais serão esquecidos.

 

Fonte: O Tempo