Guardiola diz que Manchester City merecia pedido de desculpas da Uefa e da CAS

O técnico Pep Guardiola disse, nesta terça-feira (14), que a Corte Arbitral do Esporte (CAS, sigla em inglês) e a Uefa deveriam pedir desculpas para o Manchester City após a punição imposta de dois anos fora das competições europeias ter sido anulada. Guardiola disse que a reputação do clube foi prejudicada pela repercussão em torno das alegações de que teria quebrado o fair play financeiro e revidou os comentários dos técnicos rivais José Mourinho, do Tottenham, e Jurgen Klopp, do Liverpool. Mourinho havia descrito a decisão da CAS de multar o City em 10 milhões de euros (R$ 61,9 milhões) pela não cooperação com a investigação como “vergonhosa”. “José e todos os técnicos devem saber que fomos prejudicados. Deveriam pedir desculpas, porque, como eu disse muitas vezes, se fizéssemos algo errado, aceitaríamos as decisões da UEFA e da CAS porque teríamos feito algo errado”, disse Guardiola em entrevista coletiva nesta terça-feira (14). “Temos o direito de nos defender quando acreditamos que aquilo que fizemos é correto. Três juízes independentes disseram isso”, acrescentou o treinador espanhol. Klopp definiu o veredicto da CAS na segunda-feira (13) como “não é um bom dia para o futebol”. “Segunda-feira foi um bom dia para o futebol, porque jogamos com as mesmas regras como todos os clubes da Europa. Fomos prejudicados. As pessoas disseram que enganamos e mentimos, muitas vezes”, afirmou Guardiola, que citou também o presidente da liga espanhola, Javier Tebas, um crítico de longa data do City. O dirigente questionou se a CAS era o tribunal certo para decidir essas questões. “Esse senhor tem ciúme da Premier League, do futebol inglês”, afirmou Guardiola. “Pelo que vejo, ele é um incrível especialista legal, então da próxima vez perguntaremos em qual tribunal e a quais juízes temos que ir. Ele deve se preocupar mais com a Liga. Estaremos na Liga dos Campeões na próxima temporada, senhor Tebas, porque o que fizemos foi correto.”

 

Fonte: O Tempo