Galo sai na frente do líder Coelho, cede empate no segundo tempo e cai para 4º

O recomeço do Campeonato Mineiro para Atlético e América, neste domingo, na Arena Independência, contou com um clássico com muitos fatores importantes em jogo. De um lado, o Coelho, líder e invicto na temporada, único time do torneio ainda sem perder e sem a presença do seu artilheiro Rodolfo. Do outro, o Atlético, com estreias e três pontos de distância do adversário, com chance de ocupar a liderança da competição. Depois de um primeiro tempo muito superior, o ritmo do Galo na etapa final ‘desandou’. O Coelho aproveitou o maior controle do jogo para empatar no segundo tempo e se manter na liderança, faltando uma rodada para o fim da fase de classificação. A primeira posição de forma definitiva depende somente dos alviverdes para ser confirmada. Já o Atlético caiu para a quarta posição e precisa vencer e torcer os rivais da parte de cima da tabela para fechar a primeira fase no lugar mais alto da tabela. A classificação do Galo depende também somente do seu desempenho. Na quarta-feira, o Galo recebe o Patrocinense, enquanto o Coellho visita a URT.  Um bom ‘esquenta’ para o clássico foi o jogo-treino de 10 dias atrás, quando os rivais se enfrentaram na Cidade do Galo, com vitória alvinegra por 3 a 2. A expectativa de um bom jogo passava pelos treinadores, conhecidos pela boa organização das suas equipes e inteligência na organização de jogadas. As mudanças de Lisca, no segundo tempo, surtiram efeito, tanto na parte tática, colocando um lateral no lugar de um atacante, como na parte física. As cinco mudanças do Coelho ajudaram para colocar um ‘gás novo’ em campo diante de um adversário que preferiu não utilizar todas as substituições que tinha direito.  No primeiro tempo, o Atlético teve predomínio, terminando a etapa com 64% de posse de bola. O América tentava incomodar a saída de bola do adversário, principalmente quando o goleiro Rafael era acionado. Apesar dessa pressão do Coelho, o Atlético tinha boa transição e conseguia trocar passes e encontrar espaços, principalmente com boas inversões de jogadas e tentativas de lançamentos longos, alguns deles com o zagueiro Réver.  Quando o time alvinegro ocupava o campo oponente. o América logo tratava de se fechar para sair com rapidez no contra-ataque. A zaga do Coelho, no entanto, teve trabalho para diminuir os espaços, sofrendo com algumas bolas nas costas que levaram perigo, forçando o goleiro Airton a sair da sua área para evitar o pior.  Foi em uma inversão de jogo que o Galo conseguiu abrir o placar. A jogada começou do lado direito com Savarino e foi parar em Marquinhos, que teve espaço para cruzar e encontrar Nathan. O meia teve o trabalho apenas de desviar e tirar a bola do rumo do goleiro americano. Apesar da melhora do América após o gol sofrido, o panorama de superioridade do Galo seguiu até o final da primeira etapa.  Para o segundo tempo, o técnico Lisca buscou surpreender com uma substituição diferente, tirando o atacante Léo Passos e colocando o lateral-esquerdo João Paulo. A mudança deu certo, com o América melhorando seu rendimento. Além de mais posse, o Coelho conseguiu ser mais agudo, levando perigos que não apareceram na etapa inicial. Prova disso foi a maior presença do goleiro Rafael, que conseguiu boas intervenções para evitar o empate. Foi aos 26 minutos que o Galo teve a única chance no segundo tempo, com Savarino servindo Marrony, que parou no goleiro Airton.  A queda de rendimento do Atlético tirou o técnico Jorge Sampaoli do sério e acabou sendo castigada com o empate. Aos 32 minutos, Fábio Santos cortou, de cabeça, direto no companheiro de defesa Junior Alonso. A bola sobrou livre para Vitão, que tinha acabado de entrar. Ele fuzilou para igualar o jogo. A reta final do jogo teve o América seguindo no campo do Atlético. O time alvinegro se segurou como pôde para segurar o resultado, que poderia ter sido pior se não fosse pelo goleiro Rafael.  FICHA TÉCNICA AMÉRICA 1 X 1 ATLÉTICO Motivo: 10ª rodada do Campeonato Mineiro Estádio: Independência, em Belo Horizonte América: Airton; Leandro Silva, Eduardo Bauermann, Lucas Kal e Sávio (Geovani); Zé Ricardo (Flávio), Juninho e Alê; Felipe Augusto (Mateusinho), Léo Passos (João Paulo) e Ademir (Vitão). Técnico: Lisca Atlético: Rafael; Guga, Alonso, Réver e Fábio Santos; Allan, Nathan e Hyoran (Alan Franco); Savarino, Marquinhos (Léo Sena) e Marrony. Técnico: Jorge Sampaoli Árbitro: Ronei Cândido Alves Assistentes: Marcus Gomes e Felipe Costa Gols: Nathan (AT), Vitão (AM) Cartões amarelos: Zé Ricardo (AM), Alonso (AT)

Fonte: O Tempo