Galo: mesmo com receita recorde, estudo alerta para endividamento ‘desafiador’

A Pluri Consultoria tem realizado uma série de estudos sobre as finanças dos clubes brasileiros em 2019. Sobre o Atlético, o estudo da empresa apontou que o clube teve uma receita recorde em 2019, a maior de sua história, mas alertou para o ‘desafiador’ aumento do endividamento do Atlético.  É importante destacar que o balanço financeiro de 2019 do Galo ainda não foi apreciado pelo Conselho Deliberativo. A reunião dos conselheiros para aprovar as contas do ano passado está marcada para 31 de julho. O balanço já passou pelo Conselho Fiscal. No estudo, há destaque para uma receita de R$ 354 milhões do Atlético no ano passado, a maior de sua história e 37% superior a 2018. Nesse valor, estão inseridos R$ 49 milhões referentes à Arena MRV. Em contrapartida, o clube teve um aumento de 10% no endividamento, saltando para R$ 656 milhões. Dos R$ 354 milhões de receita no ano passado, há alguns detalhamentos, como R$ 121 milhões vindos de receitas com cotas de transmissão, R$ 106 milhões com negociações de atletas, R$ 22 milhões com marketing e comercial, R$ 27 milhões com sócio-torcedor e bilheteria. Da receita do Galo em 2019, a maior parcela veio dos direitos de transmissão e cotas de participação, que representaram 34% da receita do clube. Na sequência, vieram os valores relacionados a venda de jogadores, o que representou 30% da receita do Atlético. O Atlético teve um aumento de receitas com direitos de tranmissão e cotas de participação, de R$ 100 milhões em 2018 para R$ 121 milhões em 2019. Já os R$ 22 milhões de receita relacionados ao marketing e ao comercial foram os menores desde 2015 (R$ 16 milhões), com uma queda de 16% de 2018 para 2019. O resultado financeiro líquido do Atlético teve uma queda de R$ 32 milhões em relação a 2018, uma diferença de 73%. O endividamento líquido do Galo vem numa crescente desde 2011 (R$ 368 milhões), saltando de R$ 595 milhões em 2018 para R$ 656 milhões em 2019. Já o patrimônio líquido do Atlético aprensentou uma queda de R$ 6 milhões de 2019 para 2019, vindo numa decrescente desde 2011. As contas do Galo de 2019 serão apreciadas pelo Conselho Deliberativo na semana que vem, em 31 de julho.

 

Fonte: O Tempo