Ex-Cruzeiro, Edílson diz que falta a Ceni ter equilíbrio com experientes

Em entrevista ao programa “Resenha ESPN Digital”, o ex-lateral-direito do Cruzeiro, Edílson, admitiu a relação ruim que possuía com Rogério Ceni, quando da passagem do comandante pela Raposa no ano passado. Segundo o ex-cruzeirense, um dos pedidos do grupo era que ele estivesse mais presente, mostrando o papel de liderança, mas Ceni o excluía até mesmo de estar com o elenco. A maior rota de colisão entre os profissionais aconteceu no segundo jogo da semifinal da Copa do Brasil do ano passado, quando Ceni apontou após a eliminação para o Internacional que não escalou Edílson para a partida porque teria tomado conhecimento pela imprensa de uma entrevista concedida pelo lateral destacando que não possuía condição física de jogo. “Nossa relação não foi muito boa. Eu nunca ia reclamar por não estar jogando. Claro que todo jogador quer jogar, ser titular, mas sempre há um respeito muito grande por quem está melhor. E sempre falei isso. Mas a maior briga do grupo em si, e não só do Thiago Neves, mas de todos os mais experientes, é para que eu estivesse mais no vestiário, mais junto do elenco. Eles sabiam do meu papel de liderança e do respeito que eu tinha por todos. Isso foi uma das coisas que mais me deixou chateado, por ele me excluir e praticamente não me deixar participar e nem ir nos jogos”, revelou Edilson. Sob o comando de Ceni, Edílson esteve em campo com a camisa do Cruzeiro em apenas duas oportunidades, uma delas como titular, na goleada sofrida para o Grêmio, no Independência. Na entrevista à ESPN, o atleta afirmou que procurou o comandante para superar a inimizade, mas que Ceni não quis admitir nenhum tipo de erro de conduta.  “Eu cheguei para ele e falei: ‘Rogério, vamos deixar tudo para trás e seguir em frente, pensar no Cruzeiro. A gente vem vivendo um momento difícil e eu quero poder ajudar. Eu errei, de repente você errou também, mas vamos esquecer tudo’. Aí ele falou que achava que não tinha errado em nada e eu não gostei. Aquilo ali foi a gota d’água para a gente nem mais conversar”, contou o lateral-direito à ESPN.  Edilson confia que Ceni vai se converter em um dos grandes treinadores do futebol brasileiro, mas atentou que o ex-jogador precisa ainda valorizar os atletas experientes.  “Tomara que ele encontre o ponto de equilíbrio porque sem sombra de dúvidas ele vai ser um dos grandes treinadores do Brasil. (Ele precisa) Ter um equilíbrio com os mais experientes. Saber tratar os jovens de uma forma boa como ele sempre trata, mas também saber tratar os experientes e abraçar todo mundo. Acho que é esse o ponto principal: saber tratar os jovens, que ele gosta muito de trabalhar com eles, mas também saber tratar os experientes”, analisou o ex-jogador celeste.

 

Fonte: O Tempo