Estaduais seguem no calendário de 2021, garante diretor de competições da CBF

Criticado por muitos por diversos fatores, como formato e sua importância (ou a falta dela) para a sequência da temporada, os campeonatos estaduais estão mantidos para 2021. Esta foi a garantia de Manoel Flores, diretor de competições da CBF, em entrevista ao SuperFC 1ª edição desta quinta-feira.  Apesar da dificuldade de reformatar o calendário deste ano, já pensando em 2021, a promessa é de que haja um curto espaço de tempo entre a competição estadual das duas temporadas. “Vejo os Estaduais como DNA do futebol brasileiro e a CBF defende muito estas competições internamente. Os Estaduais têm seu valor no aspecto financeiro, os clubes já têm contratos assinados para disputar esta competição. Em Minas Gerais, por exemplo, os contratos com a TV são relevantes e dão um importante retorno tanto para os clubes grandes como para os pequenos. É um período exclusivo e de muita importância”, ressalta. Ao mesmo tempo, o dirigente sabe que os Estaduais ainda têm marge para serem otimizados, o que depende de um acordo em conjuntos com as entidades que comandam o futebol em cada unidade federativa. “É um torneio que pode ser mais enxuto, acredito que cabe uma readequação e estamos buscando isso em conjunto com as federações. Mas não podemos enxugar por enxugar. A redução de datas aconteceu nos últimos anos, já foi de 25, hoje são 16”, lembra Flores. Ele lembrou que o torneio tem uma grande importância para os clubes pequenos, com uma realidade bem diferente das equipes de maior investimento e estrutura, que têm um calendário cheio e garantido durante o ano. “O Brasil é um país continental, não podemos tratar somente dos clubes grandes e de elite. Alguns clubes contam somente com o Estadual durante o ano, uma competição de dois ou três meses. É preciso tentar abraçar todos os clubes e CBF tenta fazer seu papel neste sentido”, comenta.

Fonte: O Tempo