Especulado no Galo, Sasha foi de lista de dispensa de Sampaoli a ano de destaque

O atacante Eduardo Sasha, especulado no Atlético, entrou na Justiça pedindo a rescisão de contrato com o Santos. O jogador alega uma série de pendências do Peixe, como salários e FGTS, e por isso deseja a liberação imediata. O nome de Sasha está no mercado da bola que envolve o Galo, cujo treinador viveu uma situação curiosa com o atacante no ano passado. O técnico Jorge Sampaoli comandou o Santos em 2019, uma passagem que deixou saudades no torcedor do Peixe. As ideias do argentino foram assimiladas rapidamente pelo elenco, que terminou o ano com a segunda colocação do Campeonato Brasileiro e um futebol agradável de ser visto. Logo no início do trabalho, antes mesmo do início do Campeonato Paulista, Sampaoli elaborou uma lista de dispensas no elenco do Santos, em que um dos nomes era o de Eduardo Sasha. No Santos desde 2018, o atacante viu sua permanência no clube ameaçada. Sasha leu uma matéria na internet em que Sampaoli dizia que ele não tinha “definição esportiva”. Foi assim que soube que não seria aproveitado pelo treinador. Pouco tempo depois, foi chamado pelo argentino e teve uma conversa sobre seu futuro. De inicialmente dispensado, Sasha acabou ganhando algumas oportunidades no Santos, chance para uma ‘sobrevida’.  O atacante teve a primeira oportunidade de entrar em campo em 2019 no início de fevereiro, contra o Altos, pela Copa do Brasil. Na ocasião, foi sacado do banco de reservas por Sampaoli. O primeiro semestre do atleta no Peixe variou entre algumas chances como titular e outras entrando no decorrer das partidas. Nas duas primeiras rodadas do Brasileiro, Sasha marcou gols contra Grêmio e Fluminense, participando de mais partidas com Sampaoli nos jogos seguintes. A melhor sequência do jogador, porém, veio em meados de junho. Da nona até a 26ª rodada do Brasileirão, ao longo de 18 jogos, Sasha foi titular do argentino e teve sua melhor sequência no ano. As rodadas sucessivas como titular foram interrompidas justamente numa partida contra o Atlético, em que entrou no decorrer do jogo. Depois, voltou a emendar nove jogos começando entre os 11 de Sampaoli.  Sasha terminou 2019 com 49 jogos disputados, sendo que esteve em campo em 37 das 38 rodadas do Brasileiro pelo Santos. Com 14 gols marcados, o atacante atingiu a melhor marca da carreira em um ano só, ultrapassando os 13 gols em 2016 pelo Internacional.  E o Galo? No início deste ano, o atacante esteve em pauta no Galo, mas nenhum negócio foi fechado entre Santos e Atlético. Com o panorama de agora, em que Sasha pede a rescisão com o Santos, o clube mineiro naturalmente monitora a situação do atleta.  Os representantes de Sasha esperam a definição na Justiça para poder decidir quais rumos o atacante vai tomar. Se conseguir o encerramento do vínculo com o Peixe, ficaria livre no mercado para acertar com alguma equipe. Há sondagens sobre o atacante, especialmente de fora do país. Nas redes sociais de sua assessoria, Sasha justificou os motivos de ter acionado o Santos na Justiça. Ele reclamou da maneira como a diretoria do clube conduziu a redução salarial durante a pandemia. “Eu sou pai de família, tenho minhas responsabilidades e obrigações e fomos comunicados que teríamos um desconto de 30% em nossos salários, por conta da pandemia, nós jogadores estávamos dispostos a aceitar, porque sabíamos da situação que o mundo estava vivendo, porém faltando 2 dias para o pagamento fomos comunicados que teria um corte de 70% nos salários, não houve nenhuma explicação”, ponderou.

 

Fonte: O Tempo