Escudeiros de Enderson: quem é quem dentro da gestão do futebol do Cruzeiro

Diferentemente da centralização que ocorria na gestão Wagner Pires de Sá, quando Itair Machado dava as cartadas no futebol celeste e ainda possuía um gestor da relação com os atletas na figura do ex-jogador Marcelo Djian, o Cruzeiro vem contando atualmente com uma equipe que aponta as diretrizes atuais do departamento, e intensifica os trabalhos em áreas determinadas. Eles são o apoio de Enderson Moreira e figuras de confiança da atual diretoria para recolocar o Cruzeiro na Série A do Brasileiro.  O futebol do Cruzeiro também passou por uma reformulação durante a pandemia, que já havia sido iniciada com o conselho gestor anunciando Ricardo Drubscky como diretor de futebol e a contratação de Enderson Moreira. Logo depoois, a atual administração trouxe o ex-jogador Deivid para o cargo de diretor técnico, transformou André Argolo em diretor executivo de esportes e manteve no quadro Pedro Moreira, promovido ao cargo de gerente de futebol, e Benecy Queiroz, supervisor administrativo.  Esse grupo sustenta as decisões que vêm sendo tomadas em torno do futebol celeste atualmente. “Nosso departamento de futebol tem buscado um trabalho de forma integrada. Todos os profissionais são gabaritados, possuem vivência no futebol, e trabalham unidos para dar total respaldo e apoio ao Enderson e comissão técnica”, afirmou André Argolo, diretor executivo do clube, em contato com o Super.FC.  “Nossos contatos são diários e constantes, planejando não só o futebol profissional masculino, mas também o feminino e as categorias de base. O conceito de organização que o nosso presidente tanto bate na tecla, também está sendo aplicado no futebol. Temos o obejtivo que é colocar o Cruzeiro na Série A e tenho certeza que com o empenho de todos, alcançaremos esse objetivo”, acrescentou Argolo.  O Super.FC aponta abaixo a área de atuação de cada um dos membros do atual departamento de futebol do clube. Chama a atenção que próximos de Enderson estão justamente treinadores. Ricardo Drubscky chegou a comandar o próprio Enderson, e Deivid foi técnico do Cruzeiro logo após a primeira saída de Mano Menezes.  André Argolo – Diretor Executivo de Esportes Ele chegou a ter o cargo de CEO dentro do Cruzeiro após a saída de Vittorio Medioli ainda no período do conselho gestor. Vem sendo o responsável especialmente pelas relações institucionais com órgãos esportivos, como FMF, CBF e Fifa, além do relacionamento com outras equipes e entidades, como TV Globo, e em assuntos gerais. Participando de reuniões e negociações que envolvem o clube, ele também tem atuado cada vez mais no dia a dia do futebol (profissional masculino, feminino e base), junto à toda equipe do departamento e a comissão técnica. Ricardo Drubscky – Diretor de Futebol Assumiu o cargo logo após a saída de Ocimar Bolicenho. Anteriormente era o responsável pela categoria de base do clube. Sempre um fiel aliado de Enderson Moreira e um estudioso do futebol, seu trabalho atualmente tem sido ligado à comissão técnica e atletas no dia a dia na Toca II, além das negociações. Com a parceria entre ele e Enderson retomada, o Cruzeiro espera repetir o que a dupla conseguiu no América, quando os dois levaram o Coelho ao acesso em 2017.  Deivid – Diretor Técnico Atendeu ao pedido do presidente Sérgio Santos Rodrigues e vem trabalhando em parceria com Drubscky na gestão do futebol e André Argolo nas questões administrativas e de negociações. Esteve envolvido diretamente nas negociações que trouxeram Guilherme e Claudinho, revelações do futebol paulista, à Toca. Está ligado à área de análise de desempenho e a busca por reforços para o clube.  Pedro Moreira – Gerente de Futebol Atua diretamente na gerência estratégica de futebol, ao lado de Ricardo Drubscky e Deivid. Auxilia o departamento internacional e o departamento de futebol feminino. Benecy Queiroz – Supervisor Administrativo Funcionário mais antigo do departamento de futebol do Cruzeiro, Benecy é uma figura que gera bastante controvérsia na torcida, que pede sua saída do clube e intensificou os protestos contra a figura do dirigente neste ano. Apesar disso, ele foi mantido na estrutura celeste para monitorar e atuar na coordenação do dia a dia do funcionamento da Toca 2. Ele auxilia ainda nos processos internos e de logística, e também representa o clube em algumas audiências, como a que envolve o técnico Mano Menezes, por exemplo.

 

Fonte: O Tempo