Enderson avalia que Cruzeiro pode ficar até 10 rodadas fora do G4 da Série B

O Cruzeiro terá um fator a mais na luta pelo retorno à Série A do Campeonato Brasileiro. Pelo não pagamento de uma dívida junto ao Al-Wahda, envolvendo o volante Denílson, o clube inicia o torneio com menos seis pontos. Essa situação foi analisada pelo técnico Enderson Moreira, que fez uma projeção de dificuldades para o clube ao menos nas 10 primeiras rodadas iniciais da Série B, período que o time deve ficar fora talvez de um lugar entre os quatro primeiros.  “O torcedor tem que entender isso, que talvez vamos ficar cinco, seis, sete rodadas convivendo com a zona do rebaixamento, e é claro, isso é uma coisa que precisamos administrar. A gente não vai fazer dois jogos e vamos sair. Isso não vai acontecer. Isso vai ser com a sequência das rodadas. É importante que a gente possa, acima de tudo, passar uma imagem positiva, a imagem de uma equipe que vai demonstrar para todos os torcedores e a gente espera que para todos mesmo, que é uma equipe competitiva, que vai buscar as vitórias em todos os jogos. Mas é um momento que sabemos que é difícil, Isso pode durar até dez rodadas, a gente não entrar em uma zona de classificação”, apontou Enderson Moreira, em resposta a torcedores no canal oficial do clube no YouTube.  Para o técnico do Cruzeiro, o mais importante neste período é que o time demonstre, por meio dos jogos, que terá capacidade para superar a perda de pontuação e que é, de fato, o candidato ao acesso. Ele recordou, por exemplo, de suas experiências vitorias com Goiás e América, destacando que em um campeonato de tiro longo exige que o time mantenha uma posição intermediária até que chegue o exato tempo de tomar a dianteira.  “Importante a gente entender que esse campeonato, tanto a Série A quanto a Série B, não é uma corrida de velocidade. Vou fazer uma comparação, não é aquela competição que você tem que sair na frente para poder garantir que vai chegar à frente. Eu quando a tive a possibilidade de ganhar as duas vezes essa competição (por Goiás e América), a gente nunca saiu na frente. Sempre teve uma posição intermediária e no momento certo a gente conseguiu pegar essa dianteira, e aí conseguimos nos manter ali e não perder mais”, explicou o comandante.  “Então, o Cruzeiro, por essa punição, ele vai conviver por um bom tempo sem estar ainda no lugar que ele precisa estar, mas a gente tem que ter tranquilidade, e que os nossos indícios, de jogar bem, de conquistar os resultados, possam ser um parâmetro para saber que é uma questão de tempo, mas que nós vamos chegar nesse objetivo”, concluiu Enderson.  O Cruzeiro estreia na Série B do Campeonato Brasileiro no próximo dia 7 ou 8 de agosto, quando encara o Botafogo de Ribeirão Preto como mandante. O local da partida ainda não foi definido, uma vez que depende dos órgãos de saúde.

 

Fonte: O Tempo