Duas rodadas do Mineiro com briga por manutenção, Série D e Troféu Inconfidência

O retorno do Campeonato Mineiro terá um cenário ainda mais exigente para boa parte dos clubes. A pandemia do coronavírus forçou a paralisação do campeonato e a suspensão de muitos contratos. Elencos dos times do interior sofreram alteração e as mudanças que serão feitas para a retomada do torneio, de forma emergencial, podem trazer prejuízo para a qualidade técnica, com alguns deles podendo colocar atletas jovens em campo, além de um elenco sem entrosamento.  Os objetivos para a reta final do torneio, faltando apenas duas rodadas para a fase de classificação se encerrar, podem ficar comprometidos. Em disputa, vaga na série D do ano que vem, permanência na elite do futebol mineiro de 2021 e a disputa do Trofèu Inconfidência. A complicada situação financeira de alguns clubes aumentou a dificuldade para remontar as peças após receber, na última semana, a confirmação de que o Estadual será mesmo retomado no dia 26 de julho. Villa Nova e Tupynambás, os dois últimos colocados, alegaram dificuldades para remontar seus elencos e  acionaram a Justiça pedindo que o Campeonato Mineiro fosse encerrado sem rebaixamento Saíram na frente Além de Atlético, Cruzeiro e América, Boa Esporte e Tombense, já garantidos na série C, retornaram aos treinos há mais tempo, sendo beneficiados pela certeza de que jogariam durante toda a temporada. O time de Tombos voltou aos trabalhos no dia 10 de maio, faz boa campanha no Estadual (ocupa a segunda colocação) e está muito perto das semifinais. Já o Boa está na parte de baixo da tabela, a apenas quatro pontos da zona de rebaixamento e precisa ligar o sinal de alerta para não cair para o Módulo II.  Quarta divisão Apesar de terem se programado para jogar a série D, Caldense, Villa Nova e Tupynambás tiveram a confirmação da realização do torneio nacional somente na última semana, quando a CBF divulgou calendário das principais competições do país. Ocupando a quarta posição e podendo se classificar para as semifinais já na próxima rodada, a Caldense viu o contrato de todos os jogadores terminar no dia 26 de abril, com a diretoria optando pela não-renovação para conter gastos. Menos mal que a Veterana possui parceria com um grupos de empresários do interior de São Paulo, que gerenciam vários atletas que fizeram parte do elenco. Todos têm treinado em casa e a grande maioria deve retornar ao time para a sequência do Estadual. O Villa Nova corre sério risco de rebaixamento, ocupando a penúltima posição. Os contratos dos atletas se encerraram no dia 30 de abril e o time deve ser bastante mudado para a sequência do torneio. Um dos poucos que deve seguir no elenco é o volante Augusto Recife. Uma das novidades será no comando, com a presença de Ademir Fonseca, que estava na URT. O Tupynambás vai passar por situação parecida. Todos os atletas foram dispensados e uma reformulação geral no elenco será feita. Ocupando a lanterna, precisa vencer os dois jogos que restam para aumentar suas chances de permanência.  ‘Sem série’ e briga pelo Trofèu Inconfidência Patrocinense, Coimbra, URT e Uberlândia são times que têm apenas o final do Estadual como último objetivo da temporada. Apesar disso, eles podem ter mais do que os dois jogos restantes da fase de classificação com a presença da Recopa, que vai colocar frente a frente o melhor time do interior contra o campeão do Troféu Inconfidência. Este último torneio vai reunir os times que terminarem entre a quinta e oitava posição. A disputa terá semifinal e final com jogos de ida e volta.  Uberlândia e URT estão no meio de tabela com poucas chances de se classificar e também de cair. O Verdão voltou aos treinos na última semana. Apenas três atletas não devem seguir no elenco, que teve os contratos suspensos por causa da pandemia. A URT, também deve ter poucas baixas e conta com a visibilidade dos jogos contra Cruzeiro e América para terminar bem o campeonato.  A Patrocinense, já livre do rebaixamento, teve mudança de seis a sete jogadores do elenco. O time garante que vai repor as peças para fazer um bom papel nas rodadas que restam. O clube tem chances remotas de se classificar e deve estar na briga do Troféu Inconfidência. O Coimbra, ameaçado de rebaixamento, perdeu quatro jogadores. O time de Contagem recebe a vice-líder Tombense na próxima rodada, quando pode garantir sua permanência na elite. Na rodada final, um jogo que pode ser uma decisão, com confronto direto contra o Villa Nova ou acontecer somente para cumprir tabela.  Jogos que prometem na reta final do Estadual Penúltima rodada América x Atlético – clássico da capital entre líder e 3º colocado. Se o Galo vencer, empata com o Coelho em número de pontos e embola a briga pela liderança ao final das 11 rodadas.  Cruzeiro x URT – com três pontos de vantagem para a Raposa, vantagem pode ser tirada em caso de vitória do time do interior. Se Caldense perder na rodada, Cruzeiro e URT podem chegar na última rodada com chances de classificação. Coimbra x Tombense – time de Contagem pode se garantir na elite. Para isso, precisa ganhar e torcer para o Villa não vencer Uberlândia fora de casa. Triunfo do Coimbra pode, também, deixar aberta a definição dos quatro primeiros colocados Tupynambás x Caldense – jogo pode decretar rebaixamento de um e classificação de outro. Veterana pode se dar bem com as várias mexidas que o time de Juiz de Fora vai passar.  Última rodada: Caldense x Cruzeiro – briga direta pela quarta posição, atualmente apenas três pontos de distância a favor da Veterana. Jogo em Poços de Caldas podendo virar decisão para definir o último classificado às semifinais.  Villa x Coimbra – times na parte de baixo da tabela, se enfrentam em Nova Lima, com o confronto podendo definir um dos rebaixados. Atualmente, apenas três pontos separam as equipes. Coimbra pode se beneficiar da grande reformulação que adversário vai sofrer.   Boa x Tupynambás – se o Boa perder e o Tupynambás vencer na 10ª rodada, a diferença dos times será de apenas dois pontos na última rodada. O time de Varginha recebe o adversário direto podendo precisar de um empate para permanecer na elite. Uma derrota pode jogar o time do Sul de Minas no Módulo II.

 

Fonte: O Tempo