Cruzeiro: Pandemia cruzou caminho de Moreno duas vezes em 2020 ainda sem gols

No dia 30 de janeiro, a associação chinesa de futebol comunicou a suspensão, por tempo indeterminado, de todas as competições no país. Marcelo Moreno que, à época, defendia o Shijiazhuang Ever Bright, viu a rotina de preparação para a Superliga Chinesa mudar por completo. Chegou a realizar treinos fora do país asiático. O início do campeonato estava previsto para 22 de fevereiro, e só retornou exatamente neste fim de semana, quando o atacante boliviano volta a campo com o Cruzeiro após enfrentar os empecilhos do coronavírus duas vezes.  Em fevereiro, Moreno anunciou seu retorno ao Cruzeiro, atuou por cinco jogos até que o Brasil também decretou a suspensão das partidas em função da pandemia. Um ano totalmente atípico para o boliviano, que também intensificou o período longe do futebol e depois a retomada aos treinos para aprimorar a parte física e tática.  Quatro meses depois do último jogo, o camisa 9 celeste poderá, enfim, matar as saudades da bola e buscar algo que ainda não conseguiu: celebrar um gol em sua volta à Raposa e também no ano de 2020 em jogos oficiais.  O último gol que Moreno marcou com a camisa do Cruzeiro foi em 2014, uma pintura contra o Fluminense, na vitória por 2 a 1, pela última rodada do Campeonato Brasileiro daquele ano. Com 98 jogos com a camisa celeste, Moreno é o segundo maior goleador estrangeiro da história da Raposa, com 45 gols marcados. Ele está a cinco de igualar Arrascaeta, detentor da marca, com 50 tentos. Se depender da média anual que possui de gols, o boliviano conseguirá superar o recorde do uruguaio. As estatísticas apontam que em 14 anos de carreira, o jogador tem uma média de 12,7 gols por temporada. Aos 33 anos, Marcelo Moreno já foi às redes em 179 oportunidades.  O Cruzeiro entra em campo neste domingo, às 11h, pela 10ª rodada do Campeonato Mineiro. O adversário será a URT, rival que o boliviano ainda não vazou na carreira.

 

Fonte: O Tempo