Cruzeiro comemora protocolo alemão para ter baixa taxa de infectados no grupo

O Cruzeiro se espelhou na rigidez alemã para não ter todo o elenco infectado pela Covid-19. Até aqui, foram apenas dois jogadores contaminados pelo vírus (o zagueiro Léo testou falso positivo para a Covid-19, mas foi liberado para os treinos em uma semana com a confirmação do resultado negativo). O fato é comemorado pelo departamento médico do clube.  O protocolo de saúde adotado na Alemanha para a volta do campeonato, em meio à pandemia do novo coronavírus, serviu de exemplo para vários países e para o Cruzeiro, que seguiu a mesma linha das medidas preventivas adotadas pelos alemães. O protocolo consiste em bateria de exames semanais de testes de PCR, por meio de amostras colhidas de secreção nasal com uso de cotonete, além de questionário aplicado diariamente a jogadores e funcionários na Toca da Raposa 2. A Alemanha foi o primeiro país a retomar as partidas, e possui o protocolo mais eficaz para detectar a presença do novo coronavírus, de acordo com o médico Sérgio Campolina. Foram infectados o volante Jean e o atacante Vinícius Popó. Eles cumpriram quarentena de 14 dias em casa, além de realizar novos exames para comprovar resultado negativo.  “O protocolo do Cruzeiro foi montado em cima de experiências anteriores do que ocorreu em outras ligas. É um modelo que se mostrou mais confiável foi o alemão, então a gente tem feito exames semanais de PCR, que mostra a presença do vírus, é um teste qualitativo, e o controle diário com questionário. De acordo com o resultado, a gente faz uma extensão dos testes. Realizamos também, de quatro em quatro semanas, avaliação sorológica, o que nos dá mais informação epidemiológica”, disse Campolina. O Cruzeiro recebe a URT, neste domingo (26), às 19h (de Brasíiia), no Mineirão, pela 10ª rodada.

 

Fonte: O Tempo