CBF remonta calendário baseado no perfil dos clubes e na força dos Estaduais

Diretor de competições da CBF, Manoel Flores também ocupa funções na Subcomissão de Clubes e na Comissão de Competições de Clubes e Seleções dentro da Conmebol. O dirigente foi o convidado do SuperFC 1ª edição dessa quinta-feira (16) e falou sobre vários assuntos referentes ao futebol brasileiro e da América do Sul. Além das explanações sobre os Estaduais e as séries C e D, ele discorreu sobre outros tópicos, que foram resumidos abaixo. Confira: Adequação do calendário durante pandemia “Foram meses complexos de estudo e análises sob diferentes óticas em busca de encontrar uma decisão viável para entregar os calendários de 2020 e 2021. Existe a ótica de um grupo seleto de, no máximo, 10 clubes, que jogam várias competições ao longo do ano, desde Estadual até Copa do Brasil e Libertadores, e também do universo de 600 a 700 clubes profissionais, que possuem um calendário mais enxuto. A CBF tentou equilibrar toda esta dinâmica nacional, levando em conta, por exemplo, Estaduais fortes, com contratos de TV que são importantes e outros que nem contrato com emissoras possuem. A ideia era atender a demanda dos clubes, que tinham diferentes objetivos a nível estadual, nacional e continental. O calendário ficou ainda mais apertado com a perda significativa de datas. O que já era complexo, tornou-se mais difícil. Um ano depende do outro no atual cenário” Mando de campo em meio à pandemia “Esperamos soltar em breve a tabela das 10 primeiras rodadas e vamos incluir as cidades, dando aos clubes o prazo de alteração de acordo com o regulamento. Cada time, assim como nos outros anos, terá 10 dias antes dos jogos para informar o local da partida. É algo de praxe, que está previsto no regulamento. Se a cidade não liberar, faremos a devida mudança, tendo diálogo com o clube, buscando o que for de melhor para o futebol e para a saúde das pessoas” Calendário sul-americano “A Conmbebol publicou seu calendário na última semana, com datas que se alinham ao nosso planejamento. As competições sul-americanas começam no dia 16 de setembro e o final das competições está previsto para o dia 23 ou 30 de janeiro. A temporada de 2021 começa em março e teremos um pequeno intervalo para que os representantes das competições internacionais do ano que vem sejam conhecidos no começo de 2021. Em relação às Eliminatórias, não há conversa sobre mudança de regulamento. O norte que temos é do início em outubro e qualquer outra mudança saberemos no momento oportuno. A tabela segue mantida conforme foi publicada” Chance de W.O para times com casos de Covid-19 “Vamos ter uma reunião importante para tratar deste tema ainda na quinta-feira. É um processo diferente das competições estaduais, é mais complexo quando se refere a um torneio de nível nacional, precisa ser bem estudado. Já temos um guia médico elaborado pelo Ministério da Saúde que vai ser a nossa diretriz. Toda a questão de regulamentação vai passar por este processo. Será um documento muito bem pensado e com autoridade para preservar a saúde dos jogadores e de todos aqueles que fazem o futebol, com limitações de atuações e restrição do número de pessoas nos estádios. As informações serão baseadas no que temos acompanhado e nas competições de fora do país, pensando nas melhores práticas possíveis tendo a segurança como premissa principal”

 

Fonte: O Tempo