Boca recusa proposta do Galo para ter Villa: ‘só venda e por US$ 40 milhões’

O Atlético procurou o Boca Juniors, da Argentina, para contar com o futebol do colombiano Sebastian Villa, de 24 anos, um dos destaques da equipe platense. Mas a direção do clube argentino recusou a oferta, segundo o diário Olé, de Buenos Aires. E além de recusar a proposta alvinegra, a diretoria do Boca Juniors salientou que Villa só será negociado por venda e pelo valor da multa rescisória de US$ 40 milhões (R$ 207,6 milhões). Além do Galo, o Los Angeles Galaxy, dos Estados Unidos, é outro interessado em contar com Villa. O diretor do clube Xeneize, Jorge Bermudez, enviou email de resposta para Alexandre Mattos rechaçando o negócio e referendando a importância do jogador no elenco de Miguel Ángel Russo. De acordo com o Olé, a oferta do Galo ao atacante é de vencimentos no valor dez vezes maior que Villa ganha atualmente no Boca. A proposta mexeu com o jogador, que demonstrou-se empolgado com o interesse do time de Jorge Sampaoli. Situação O jogador colombiano tem 24 anos e vive uma situação delicada na Argentina após ser acusado pela namorada, Daniela Cortes, de tê-la agredido durante a pandemia. O caso partiu de uma denúncia de Daniela em suas redes sociais. Em abril, a colombiana expôs fotos de hematomas, cortes e sangramentos, relatando que teria sido agredida por Villa. Assim que a denúncia explodiu na Argentina, muitos torcedores do Boca passaram a pressionar o clube contra a permanência do jogador.  A posição do Boca, porém, é de aguardar o desenrolar da investigação. Ainda não há nenhuma sentença. “Infelizmente eu tenho que fazer isso hoje, porque não aguento mais! Passamos dois anos vivendo juntos de muitos sofrimento, nos quais perdoei e perdoei golpes esperando uma mudança da parte dele. Isso nunca aconteceu! Ele se passa por um homem inteligente que fala com maturidade, mas a realidade é diferente: um agressor físico e psicológico e muitas pessoas são testemunhas”, publicou Daniela em suas redes sociais. Daniela acusou Villa de espancamento e ameaças. O jogador contra-atacou prestando queixa de extorsão. Villa negou que tivesse agredido a namorada e se manifestou em seguida, também em suas redes sociais. “Em relação ao que está se vendo nas redes sociais, queria dizer que tenho mãe, tenho minhas irmãs, sobrinhas, primas, que tenho mulheres na minha família. Deixando claro que não estou em minha casa e que não sei quais as intenções de estar se publicar o que se publicou. A partir de amanhã começarei a esclarecer a situação com a pessoa indicada”, disse o jogador. O caso está sendo investigado na Argentina. No fim de junho, o Super.FC chegou a noticiar o desejo do jogador em permanecer no Boca Juniors, mas, segundo apurou a reportagem, o atleta gostou do interesse do Galo e quer vir para o Brasil. Villa tem contrato com o Boca até junho de 2023. O Atlético não comenta qualquer assunto referente a possíveis negociações.

Fonte: O Tempo