Base do América fecha primeira semana de trabalhos remotos

Com os contratos reativados, após a suspensão por meio da MP 936, do Governo Federal, os atletas das categorias de base do América retomaram as atividades com encontros virtuais. Esta semana, foi a primeira com os novos métodos de trabalho que teve foco nos exercícios físicos, bem como nos estudos de questões táticas, sendo ministrados em conteúdo de vídeo. O time Sub-20 do Coelho teve seis encontros virtuais nesta semana, enquanto o Sub-17 teve cinco encontros, e as categorias Sub-15 e Sub-14 tiveram três reuniões. Em alguns dos encontros, foram ministrados conteúdos de preparação física, com os atletas recebendo uma cartilha de atividades, orientações e acompanhamento on-line dos profissionais de preparação física. Nos demais encontros, os treinadores ministraram conceitos técnicos e táticos aos jogadores, visando à evolução do entendimento mental do jogo. As comissões técnicas também tiveram reuniões junto à Diretoria de Base para avaliações e planejamento de novos trabalhos. O coordenador das categorias de base do América, Gibson Moreira, destaca que este planejamento envolveu equilibrar a realidade atual, considerando algumas perdas técnicas dos atletas. “Temos ciência de que, inegavelmente, todos os atletas do Brasil tiveram perdas ao longo desse período de afastamento. Portanto, nosso papel dentro do Departamento de Futebol de Base é buscar uma retomada que minimize essas perdas e prepare o atleta para o momento de retorno”, comentou. Feminino Na segunda semana de atividades remotas das Coelhinhas, a novidade foi reintegração das jogadoras que estavam em tratamento ou recuperação ao restante do grupo. Ao todo, cinco atletas iniciaram os trabalhos de transição: a meia Ronaldinha, a atacante Lílian e a goleira Sandy, que lesionaram o joelho esquerdo; a lateral-esquerda Dani Peré, que lesionou o joelho direito; e a meia Duda, que lesionou a região lombar. As atletas irão fazer atividades preventivas e de preparação física duas vezes por semana, desta forma a comissão técnica conseguirá observá-las mais de perto. “É uma experiência muito diferente que estamos vivendo, nunca tinha presenciado atividades por videoconferência, mas graças à eficiência da comissão técnica, tem sido proveitoso e bastante intenso”, analisa a lateral-esquerda Rafa.

 

Fonte: O Tempo