Aposentar? Fábio quer gol pelo Cruzeiro e projeta marca de mil jogos na Raposa

Um dos sonhos do torcedor do Cruzeiro é ver o goleiro Fábio, um dos maiores ídolos da Raposa, marcar um gol com a camisa celeste em uma cobrança de pênalti. Especialista em defender pênaltis, com 30 só vestindo o manto estrelado, o jogador também sinalizou que almeja algum dia ter a oportunidade de brindar sua vitoriosa trajetória pela Raposa com um gol.  “Já era pra eu ter feito esse gol porque a torcida me pediu várias vezes. Várias vezes a torcida gritava meu nome, mas é aquilo, eu sou muito focado e profissional. Se eu for merecedor de bater os pênaltis no momento da partida, pela minha qualidade, meus treinamentos, irei feliz. Porque já é difícil defender e ainda ter que ir lá e fazer gol é mais uma responsabilidade. Mas se eu tiver a oportunidade, vai ser a marca mais importante dessas todas que eu já alcancei aqui no Cruzeiro”, afirmou o goleiro, em entrevista ao programa “Bolívia Talk Show”, do canal Desimpedidos, no YouTube.  ELE QUER OS MIL JOGOS Atleta que mais defendeu a camisa do Cruzeiro na história, atualmente com 883 partidas, Fábio também revelou em entrevista que almeja chegar à marca de 1000 partidas pela Raposa, mas que seu primeiro objetivo é voltar com o clube à primeira divisão.  “Eu sempre tenho uma colinha (sobre o número de jogos pelo Cruzeiro). Tenho o objetivo de fazer esses 900 agora, levar o Cruzeiro à primeira divisão, esse é meu sonho. E aí, sim, concretizar esse objetivo de 1000 jogos”, projetou Fábio.  Fábio, aos 38 anos, é hoje o quinto jogador com mais partidas por um clube na história do futbeol brasileiro. Ele já deixou para trás Júnior, no Flamengo, com 857, e deverá passar Ademir da Guia, com 901 duelos no Palmeiras, neste ano. Caso chegue à marca de mil partidas, Fábio entrará para uma seleta galeria de ‘milenares’, hoje constituída por Roberto Dinamite, na terceira posição, com 1110 jogos pelo Vasco da Gama; Pelé, com 1116 jogos pelo Santos; e justamente outro goleiro, Rogério Ceni, com 1237 partidas pelo São Paulo.

 

Fonte: O Tempo